Dicas para criação de cursos online III

A edição tem a capacidade de melhorar em muito o vídeo que você gravou… e deixar o filme super atraente para a sua audiência.

Dicas para criação de cursos online

É claro que esta mágica não vai acontecer já no primeiro vídeo que você editar, mas com o tempo você vai aprendendo, e aprimorando o uso de todas as possibilidades que um editor oferece.

Vamos começar falando dos software de edição de vídeo:

Final Cut

Ele é um programa de edição específico para o Mac, e é considerado um dos melhores editores de vídeo do mercado… muitos filmes que você vê na TV e no cinema foram editados no Final Cut. O problema dele é o preço, meio salgado… U$ 299,99, com versão em inglês e espanhol.

Outra opção é o Adobe Première

Tão bom e com a mesma reputação do Final Cut, concorre ao lado dele. É o editor que eu mais uso… gosto dele e já uso há um tempo… ele também é caro… U$ 239,88, num plano anual, pré-pago, com versão em inglês, espanhol e português.

Outro soft muito usado é o Camtasia 

Que já falamos na aula de edição de áudio… também não é muito barato… U$ 199,00, com versão em inglês (confirmar).

E a última indicação de software de edição de vídeos… o DaVinci Resolve, sei que o nome é estranho, mas o programa é poderoso.

O DaVinci Resolve era, no princípio, apenas um colorizador, um corretor de cores, muito utilizado por profissionais… vários filmes de hollywood foram colorizados com o DaVinci.

A partir da versão 11 do software, a Blackmagic, que e a produtora do DaVinci, resolveu entrar na disputa com os editores de vídeo profissionais, e lançou a primeira versão do programa com um módulo de edição, além de continuar com o módulo de correção de cor.

A partir daí o DaVinci começou a ganhar mercado como editor, embora ainda longe de seus principais concorrentes, o Final Cut e o Première.

No ano passado, a Blackmagic lançou a versão 12 do DaVinci Resolve, com mais recursos de edição, e começaram a pipocar os tutorias ensinando a manejar o programa.

A maioria desses tutoriais ainda são em inglês, o que dificulta um pouco a proliferação do software entre os videomakers brasileiros.

Junto com o pouco material ensinando a editar no DaVinci, quem sabe a maior dificuldade em migrar para ele é que ele não roda em equipamentos menos potentes… computadores mais fracos, digamos assim… ele exige uma configuração um pouco mais atualizada para poder rodar com facilidade.

Existem 2 versões do DaVinci Resolve: uma chamada Studio, que vem completa, que até a versão 12 custava 950 dólares… na versão 14, que acaba de sair, o preço caiu para os mesmos 299 dólares do FinalCut (um pouco mais do que os 240 dólares do aluguel anual do Première).

Além da versão Studio, o DaVinci tem a versão gratuita, chamada apenas de DaVinci Resolve, que tem pouquíssima diferença para a versão Studio… nada que impeça de editar com as mesmas ferramentas da versão completa.

A partir da versão atual, a 14 (que ainda está em Beta no momento que eu gravo esta aula), o DaVinci incorporou um poderoso editor de áudio (que não tinha antes), também de nível profissional, e outras melhorias no editor de vídeo.

Resumindo… o DaVinci tem tudo prá se tornar um editor de vídeo muito popular prá quem trabalha com vídeos, seja avulso, seja em videoaula.

Além de gratuito, nele é possível realizar todo o processo de edição… a edição do vídeo, a correção de cor e a edição do áudio… tudo em um software profissional, com tantos recursos quanto os de seus concorrentes famosos… vamos aguardar.

Depois desses programas profissionais, ainda ainda tem os nativos, como o Quick Time e o iMovie para o Mac e o Movie Maker do Windows…. e uma porção de outros editores… pagos e gratuitos… é só dar uma procurada.

Claro que os editores nativos e os gratuitos não tem os recursos avançados que os profissionais, mas tudo depende do que você precisa fazer… se for só prá cortar e dar uma ajeitada aqui e ali, eles servem perfeitamente.

Tem produtores que preferem gravar direto, só interrompendo quando erram alguma coisa e depois, na edição só cortam o que não ficou bom… é uma alternativa, e prá isto não precisa de um editor cheio de recursos.

Agora saindo um pouco das ferramentas, vamos falar um pouco mais sobre a edição… é nela que você vai colocar uma vinheta, se você quiser… e se decidir colocar, no caso de videoaulas ela é diferente de outros vídeos que tem pela internet… arrisca o aluno enjoar de tanto ver vinheta no início de cada aula.

Na edição você pode colocar uma música de fundo… se quiser… só tome cuidado… pode parecer que fica bonitinho, mas se não for bem escolhida ou estiver com volume muito alto em relação à sua voz… ao invés de ajudar ela pode atrapalhar… fique atento.

E prá falar mais um pouco sobre música e outras coisas em vídeos,… muito cuidado também com o que você vai colocar no seu vídeo… tem tanta coisa na internet, tudo tão fácil… ali, disponível… mas não é bem assim.

Muita coisa que está disponível é protegida por direitos autorais (o tal copywriting)… então não é porque você gosta do Pink Floyd ou do Chitãozinho e Chororó, que você pode colocar uma música deles no seu vídeo, ou na sua aula… nem na vinheta… vai dar problema.

Se for no Youtube, eles vão tirar o seu vídeo (ou o canal) do ar… se for no seu curso, você pode ser acionado a pagar os royalties do conteúdo que você está usando sem licença do produtor… o tal direito autoral, ou propriedade intelectual… beleza?

Tem muita coisa free por aí, inclusive no próprio Youtube…

Ainda na edição é que você coloca aquela faixa colorida na parte de baixo do vídeo (as Lower Thirds), onde aparece o seu nome, ou o nome do curso, ou qualquer outra informação que você queira… tipo os telejornais…

Você mesmo pode fazer a faixa, ou pode pegar na internet que tem vários templates prontos, tem de graça e tem pagos.

E é na edição é que você define as configurações para a exportação do filme, que dependem da plataforma em que você vai hospedar o seu curso.

O Youtube tem uma configuração específica para os vídeos que ele hospeda, o Vimeo tem outra, assim como as outras plataformas que também tem suas próprias configurações.

Então, antes de exportar o seu filme pronto, você precisa saber as configurações que a plataforma aceita ou permite.

Bom, já estamos com as videoaulas escritas, gravadas, editadas… tudo certo… e agora?

Vamos nos preparar para colocar os vídeos no ar… na internet, prá que todo o mundo possa ver…

Como eu disse há pouco, cada plataforma, seja de hospedagem de vídeo ou de curso, tem suas configurações próprias… essa informação consta das instruções de cada plataforma, e tem também vários tutoriais que ensinam como configurar.

Uma configuração é quase sempre igual… o formato… que é o H.264, ou MP4.

Normalmente os programas de edição já vem com os presets (predefinições) de exportação para o Youtube, Vimeo, Celular, etc… mas é sempre bom dar uma conferida se elas estão ok.

Para publicar em qualquer plataforma você vai ter que se cadastrar nela… no Youtube tem que criar um canal, no Vímeo, se cadastrar em uma conta gratuita e depois, dependendo da quantidade e tamanho dos vídeos do curso, fazer upgrade para uma conta paga.

Se você decidir que vai manter seu curso gratuito, o Youtube é o melhor caminho… se resolver que vai vender, aí precisa publicar as videoaulas numa plataforma de hospedagem de vídeo, ou numa plataforma de curso que hospede também os vídeos.

Se você optar por vender o curso, é interessante você analisar a possibilidade de colocar algumas aulas, ou fragmentos de aula, ou gravar algumas aulas mais curtas para colocar no Youtube… é uma ótima forma de promover e dar visibilidade ao seu produto.

Neste caso, não esqueça que é imprescindível que você aplique técnicas de SEO, para otimizar a busca e fazer com que seus vídeos possam ser achados pelo seu cliente ideal.

Isto porque o Youtube é segundo portal de busca da internet, então muitas pessoas vão procurar ajuda direto no Youtube… e o Google também exibe resultados do Youtube, então a chance de seu vídeo ser achado é maior se você aplicar técnicas de SEO… e nestes vídeos digamos… promocionais, você coloca a chamada prá conhecer seu curso e aprender mais… é uma das melhores formas de divulgação gratuita, sem ter que investir em propaganda… e ainda dá prá monetizar os vídeos do Youtube com propaganda (ADS) e faturar uma graninha (pequena) por fora.

Já se for hospedar os vídeos apenas no curso, não precisa se preocupar com isto, porque os vídeos serão privados… então não adianta achar o vídeo, porque ninguém de fora do curso vai conseguir assistir.

Beleza? Acho que prá começar já está de bom tamanho…

Se quiser aprofundar, você pode assistir a aula completa neste link e, se gostar, pode assistir o curso “Dicas para criação de cursos online” completo na página da Udemy.

Quer ver o que tem no Criar Curso?Pegue o e-book com o resumo do curso...                 É de graça!